Natal de 2019

Carta Circular do Superior Geral

   

“Recostou-o numa manjedoura, por não haver lugar para eles na hospedaria(Lc 2,7).

 

Para todos os Membros da Família Hospitaleira de S. João deDeus

 

Caríssimos Irmãos, Colaboradores, Voluntários e Amigos:


Está a chegar o Natal e desejo enviar-vos as minhasfelicitações e os meus melhores votos para que o Menino Deus nasça nos nossoscorações e encha de paz e alegria a vida de cada um de vós e das vossas famílias,bem como de todas as pessoas que sofrem devido a doenças, violência e marginalização.

No Natal, celebramos o mistério da Encarnação. Deus nãonos abandona ao nosso destino, mas torna-se carne da nossa carne. Acaracterística que melhor define Deus é “o seu coração misericordioso”(cf. Lc 1,78) para com o seu povo. O ápice do seu amor misericordioso peloshomens e mulheres encontra-se na decisão de se encarnar, tornando-se solidáriocom os seres humanos.

Faz isso da maneira mais surpreendente, nascendo pobremente,rebaixando-se até ao extremo, para proclamar a dignidade de todas aspessoas, para além das suas condições, da sua condição humana e das suascapacidades. Assim nasceu Jesus, assim se encarnou o Senhor, numa manjedoura,porque não havia para eles lugar na hospedaria. Assim se humanizou o nossoDeus. Tudo começou com um Menino que nasceu em Belém, o Filho de Deus. Foi aíque se manifestou a alegria de Maria e José, dos anjos, dos pastores e dos reismagos que viram e seguiram a estrela para irem ao encontro do recém-nascido, recostadonuma manjedoura.

Deitou-o numa manjedoura! Para ele, não havia lugar na hospedaria.O Senhor continua a ser solidário especialmente com todas as crianças e as suasmães que, nos dias de hoje, continuam a nascer na pobreza e em condiçõesdifíceis, assim como com todas as mães que dão à luz os seus filhos no meio demuitas dificuldades, sem beneficiarem de ajuda ou assistência e, especialmente,com aquelas que sofrem para os poderem criar adequadamente, não dispondo demeios ou devido a doenças decorrentes do parto.

Neste ano, gostaria de me referir brevemente a essas mãese crianças para as quais o Senhor nasceu em Belém e às quais somos chamados a darassistência e a prestar ajuda mediante o nosso carisma e a nossa missão dehospitalidade, como já se faz em muitos lugares onde a Ordem está presente.

Recentemente, há pouco mais de um mês, tive a sorte devisitar as Obras da Ordem no Malawi: na capital, Lilongwe, onde foram criadas hámenos tempo, e em Mzuzu, para comemorar as Bodas de Prata da chegada dos Irmãose Colaboradores da Irlanda a este belo país. A missão que ali se realiza é vastae muito bela: assistência nas áreas da saúde mental e das dependências,programas para crianças de rua, para mulheres com dificuldades, idosos, formaçãoem diversas especialidades das Ciências da Saúde, etc. Mas fiquei especialmenteimpressionado com o historial do programa de Saúde Mental Materna que se ocupa dasmães, antes e depois do parto, com problemas de saúde mental, a maioria dasquais como resultado do nascimento de uma nova vida o qual, por vezes, provoca sofrimentoa essas mães e cujas consequências se repercutem nos recém-nascidos.

Há um número significativo de mães com problemas dedepressão, ansiedade e até traumas psíquicos, cujas causas residem principalmentena pobreza, na violência e na falta de apoio familiar e social. Trata-se de umproblema sério, mas que pode ser tratado e superado com a ajuda adequada. Os nossosServiços no Malawi incluem um programa para estas situações e, graças a Deus,com a sua ajuda, a prevenção através de uma formação adequada e de outrosinstrumentos, com o tratamento correto, conseguem restituir o sorriso a muitasmães que, pelas razões referidas, encontram sérias dificuldades para levarematé ao fim a sua gravidez e criarem os seus filhos. Para elas e para todas asmães do mundo que vivem nessas situações vão a nossa homenagem e a nossaatenção. Para elas nasce o Minino Deus, para as fazer sorrir, alegrando-se pelasua maternidade e pelos seus filhos, assim como sucedeu a José e Maria, apesarda pobreza, com o seu filho reclinado numa manjedoura.

Obrigado a todos os membros da nossa Família, no Malawi eem todos os outros lugares do mundo, que cumprem a sua missão de prestaremassistência e ajuda às mães em situações difíceis durante a maternidade, bemcomo aos recém-nascidos, acompanhando-as e dando-lhes o apoio necessário!

É Natal! Numa noite fria, nasceu o Salvador. Acolhamo-locom alegria, porque se manifestou agraça de Deus, portadora de salvação para todos os homens (Tt, 2,11). Vivamos o tempo de Natal com a esperança de que a luz do MeninoDeus faça desvanecer todas as trevas que encontramos no mundo de hoje. Unamo-nosao recém-nascido no compromisso em favor da dignidade de todos os sereshumanos, especialmente dos mais frágeis, baseando-nos na hospitalidade segundoo estilo de São João de Deus. Dessa forma, como disse o Papa Francisco aos IrmãosCapitulares, no dia 1 de fevereiro deste ano, seremos ícones das entranhasda misericórdia de Deus.

Para todos – Irmãos, Colaboradores, Voluntários,Benfeitores e Amigos da Ordem, bem como para as pessoas doentes e assistidasnos nossos Centros e as suas famílias – formulo os melhores votos por um felizNatal e um próspero Ano Novo de 2020. Para todos os Irmãos e Colaboradores quenestes dias estarão ao serviço das pessoas assistidas nos nossos Centros,especialmente no dia de Natal, a minha mais sincera gratidão e o meureconhecimento em nome de toda a Ordem.

Em meu nomepessoal e de toda a Família Hospitaleira de São João de Deus da Cúria Geral,Irmãos e Colaboradores, desejo a todos um Feliz Natal, cheio de paz e deesperança!

 

 

 

Ir. JesúsEtayo

SuperiorGeral



 

Copyright © 2020 Fatebenefratelli