Solenidade de São João de Deus

Carta Circular do Superior Geral

 

 

Tende sempre caridade, pois ela é a mãe de todas as virtudes

A todos os Irmãos eColaboradores, membros da Família Hospitaleira de S. João de Deus

Desejo enviar-vos as minhas felicitações por ocasião da Festade São João de Deus, nosso Fundador, convidando todos a preparar e celebrar comalegria a Solenidade do nosso Padroeiro, no dia 8 de março.

João de Deus foi sobretudo um santo, um homem de Deus,com uma profunda espiritualidade, que irradiou e da qual deu testemunho durantea sua vida, especialmente após a sua conversão, dedicando-se inteiramente aos doentese aos pobres por amor de Deus. O que sabemos baseia-se sobretudo no relato dasua vida que nos foi transmitido pelo seu biógrafo, Francisco de Castro, e pormuitas testemunhas que o conheceram, que viram o que ele fazia ou tinham ouvidofalar dele. Além disso, temos cinco Cartas preciosas, os seus únicos escritosque conservamos, os quais manifestam e exprimem o seu pensamento, a suaespiritualidade evangélica hospitaleira e a sua vida apaixonada por Deus e entreguesem limites às pessoas frágeis e mais necessitadas.

Em todas as suas Cartasencontramos um manancial inesgotável de sabedoria evangélica. Nesta ocasião, desejorecomendar que todos leiam e meditem sobre a III Carta, endereçada à Duquesa deSesa, a última que escreveu, provavelmente já na última fase da sua vida. Nocontexto religioso da sua época e com a linguagem daquele tempo, São João deDeus escreve à duquesa e a todos nós um verdadeiro tratado de espiritualidade,de vida cristã e, em última análise, de santidade, que se constrói diariamente.Ao concluir a Carta, com uma grande clarividência, faz uma síntese perfeita: Sobretudo, minha irmã, tende sempre caridade, poisela é a mãe de todas as virtudes.

A sua síntese coincide com a de São Paulo, sobre a caridade, na sua primeiraCarta aos Coríntios: “Agora permanecem estas três coisas: a fé, a esperança e oamor; mas a maior de todas é o amor" (1cor 13,13). Coincide também comSanto Agostinho, cuja Regra passou para a nossa Ordem, quando diz: “Ama e fazo que quiseres. Se te calares, cala-te por amor; se gritares, grita por amor;se corrigires, corrige por amor; se perdoares, perdoa por amor. Se tiveres oamor enraizado em ti, nada senão amor será o teu fruto (Homilia VII, §8). E corresponde ao ensinamento de Bento XVI, na sua Encíclica Deus caritasest:  “A fé, a esperança e a caridade caminham juntas. […] Aqueleamor divino é a luz — fundamentalmente, a única — que iluminaincessantemente um mundo às escuras e nos dá a coragem de viver e agir. O amoré possível, e nós somos capazes de o praticar porque fomos criados à imagem deDeus” (nº 39).

São João de Deus já o haviadito antes, por outras palavras, na sua Carta a Luís Baptista, com esta fraseque todos conhecemos: "Tende sempre caridade, porque onde não hácaridade não há Deus, embora Ele esteja em todo o lugar" (LB 15). E, nasua própria vida, ele conheceu e fez a experiência de Deus como amor, tornando-seum ícone genial do Bom Samaritano e testemunhando com a sua vida as entranhasde misericórdia de Deus pelos homens, especialmente pelos pobres e doentes.

É na fonte inesgotável da caridade e do amor de Deus que SãoJoão de Deus nos convida a haurir todos os dias, para vivermos a nossa vocaçãohospitaleira. O convite é dirigido aos Irmãos e a quantos formamos a FamíliaHospitaleira: fazer tudo com caridade, para o bem de todos, com um coraçãosensível às necessidades dos outros, praticando a hospitalidade com os mais necessitados.

Renovemos todos os dias o amor que Deus nos oferece, parao transmitirmos aos outros, em qualquer situação em que nos encontremos. AOrdem tem em todo o mundo muitas Obras Apostólicas, mas, além do número, éimportante que em todas elas velemos para que a nossa missão seja realizada comcaridade, com amor, com hospitalidade. Para isso, todos devemos seguir ainspiração do nosso Fundador, cuidando e agindo sempre com caridade, porqueonde não há caridade, parece que não há Deus.

Este é o fundamento da nossa vocação, da nossa missão e donosso projeto de hospitalidade, para o qual todos somos chamados. Vivamo-lo todosos dias e o futuro da hospitalidade estará sempre vivo, porque o mundo e aIgreja não podem subsistir sem ele, sem a caridade samaritana que São João deDeus viveu e cujo legado todos nós recebemos.

Como sempre, desejo informar toda a Família Hospitaleirade S. João de Deus sobre o resultado da campanha de 2019 para ajudar as Casasda Venezuela a realizar o projeto “Comida Solidária Partilhada”, destinadoa dar de comer a muitas pessoas carenciadas de Caracas e Maracaibo. Esta campanhacomeçou com algumas contribuições das Províncias, no último Capítulo Geral, eestendemo-la a todo o ano de 2019. Recebemos 307.423,34 €, fruto dagenerosidade e solidariedade de todos: por isso, mais uma vez, exprimo o meumais sincero agradecimento. Em breve, forneceremos mais informações sobre o decorrerdesta campanha.

Informo que a campanha do presente ano de 2020 se destinaa apoiar um projeto da Casa de Velloor (Índia), que prevê a Construçãode uma estrutura para um programa de deteção e intervenção precoce em criançascom necessidades educativas especiais. Proximamente, enviaremos asinformações pertinentes. Agradecendo, mais uma vez, a vossa generosidade, peçoque apoiem esta causa, a fim de continuarmos a fortalecer o serviço prestado aestas pessoas, especialmente às crianças mais pequenas.

Que o convite de São João de Deus a termos semprecaridade nos incentive a incrementar o serviço que prestamos às pessoas débeise vulneráveis da nossa sociedade, tornando presente no mundo de hoje o amor deDeus segundo o estilo de São João de Deus.

Unidos no Senhore em São João de Deus, recebam um abraço fraterno,

 

 

Ir. Jesús Etayo

Superior Geral




 

Copyright © 2020 Fatebenefratelli