Páscoa de 2020

Carta Circular do Superior Geral

   

Ressuscitou!

A todos os Irmãos e Colaboradores, membros daFamília Hospitaleira de S. João de Deus

Estamos a terminar a caminhada quaresmal e aproximamo-nos da Santa Páscoa,na qual celebraremos a alegria da ressurreição de Cristo. Por esta razão,desejo enviar a toda a Família de São João de Deus e a todos os seus familiarese às pessoas assistidas nos Centros e Serviços da Ordem, os meus votos de umasanta Páscoa, com o auspício de que o Senhor ressuscitado a todos dê conforto eesperança. Feliz Páscoa da Ressurreição!

Estamos a atravessar um momento muito particular no mundo, devido àpandemia por coronavírus, que está a provocar imenso sofrimento e a morte de muitosdoentes e de outras pessoas contagiadas pela doença. No momento em que escrevoesta carta para dirigir os meus votos pascais a toda a Ordem, a situaçãoé verdadeiramente grave em muitas partes do mundo, especialmente na Europa, eas previsões apontam no sentido de que precisaremos de tempo para ultrapassar estahora difícil, que vai abranger a época litúrgica da Páscoa. De facto, este ano,em muitas partes do mundo as cerimónias da Semana Santa e a solenidade daPáscoa não poderão ser celebradas como de costume. Muitas pessoas só poderão acompanharessas celebrações pela televisão ou realizá-las isoladamente, em casa. Oimportante é que elas não passem despercebidas, porque também este ano vaichegar o tempo da Páscoa e da Ressurreição, fundamento da nossa fé, da nossaesperança e da nossa vida.

Nesta situação de dor, sofrimento e morte, mais característica da Sexta-feiraSanta, não se torna fácil pronunciar belas palavras ou mesmo falar dealegria, de vida, em última análise, de ressurreição. E, contudo, devemosdepositar plenamente a nossa confiança e esperança no Senhor da Vida, n’Aqueleque também viveu o sofrimento e foi humilhado até à morte na cruz, sendosustentado e ressuscitado pelo Pai.

Por isso, as palavras do anjo às mulheres, como lemos no Evangelho de SãoMateus, são mais do que nunca apropriadas, para nós e para toda a humanidade: Nãotemais! O crucificado não está aqui. Ressuscitou. É a mensagem desta Páscoapara um mundo e uma Igreja assustados e a sofrer uma pandemia sem precedentes einesperada. Há muita dor e ela irá certamente continuar por mais tempo.Pensemos que também aí, na dor, o Cristo da Sexta-feira Santa continua a ser crucificadocom aqueles que sofrem as consequências desta pandemia. Mas devemos erguer onosso olhar, porque, com o próprio Cristo, somos destinados à vida e àressurreição. Poderíamos sintetizar a mensagem desta Páscoa, de maneira laica, como lema que hoje se tornou popular na Itália: Tutto andràbene [Tudo há de correrbem]. Não temais: Ele ressuscitou e, com Ele, venceremos.

Pelas informações que vamos transmitindo, sabeis como esta pandemia está a afetara Ordem no mundo e, especialmente, de que modo a Família Hospitaleira de S.João de Deus em todo o mundo está a colaborar com o resto da sociedade para travare fazer cessar esta pandemia. Infelizmente, muitos de nós, Irmãos e Colaboradores,fomos atingidos pelo contágio e alguns, inclusivamente, perderam a vida. A elesé devida a nossa homenagem pela sua generosidade e dedicação, com a certeza deque estão a viver para sempre com o Ressuscitado. Para todos, a nossa oraçãopermanente.

Quero recordar e agradecer a todos aqueles que estão a trabalhar na linhade frente, todos os dias, como verdadeiros filhos e fiéis seguidores de SãoJoão de Deus que, sem dúvida, se orgulha de vós. A hospitalidade implica umadedicação total e generosa, especialmente neste momento. Devemos fazê-lo comresponsabilidade, respeitando as medidas de proteção necessárias, mas devemosgarantir que os doentes e os pobres sejam atendidos, especialmente os maisnecessitados e que correm o risco de serem excluídos e postos de parte, como ossem-abrigo, os imigrantes, as pessoas deficientes, e outros.

Neste sentido, e juntamente com esta minha carta de saudação pela Páscoa,anexo o testemunho de um nosso Colaborador de Madrid. As suas palavras e, acimade tudo, a sua fé e o seu compromisso, juntamente com o de toda a nossa Famíliade São João de Deus no mundo, são uma mensagem de esperança, de vida e de ressurreição.

Desejo pedir a toda a Família Hospitaleira de S. João de Deus, a proteçãoespecial do nosso Fundador e de S. João Grande, que morreu infectado durante umaepidemia de peste. Imploro também a proteção de São Ricardo Pampuri, de quem sevai celebrar no próximo dia 1 de maio o encerramento do Ano Jubilar solicitadopela Diocese de Pavia, e em que participámos, especialmente através daProvíncia Lombardo-Véneta. Finalmente, peço a proteção do Beato José OlalloValdés, de quem se comemorou, no passado dia 12 de fevereiro, o bicentenário denascimento. Eles, e muitos outros, viveram no seu tempo situações como a que estamosa viver agora, ou outras semelhantes. Todos mantiveram sempre firmes aconfiança, a fé e a esperança no Ressuscitado e ensinam-nos a ser audazes, anão ter medo, como disse o anjo do Senhor porque… ressuscitou! e,portanto, Tutto andrà bene!

Em nome do Governo Geral e de toda a Família Hospitaleira de S. João deDeus da Cúria Geral, FELIZ PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO!

 

Ir. Jesús Etayo

Superior Geral

 

 

Testemunho de umColaborador em tempo de COVID-19

(Mensagem enviada por WhatsApp, enviada a umIrmão)

 

 

Boa tarde, Irmão,

Momentos difíceis para outra coisa senão transmitir-lhetodo o meu encorajamento e apoio.

Espero que a sua saúde permita que realize as suastarefas.

Aqui, passei a realizar o meu trabalho profissional na assistênciaaos doentes: é disso que a Casa precisa neste momento.

É evidente que é uma situação difícil para todos. Estremecemos pilares que sustentam a nossa ideia de sociedade. Nenhum de nós alguma vez passoupor uma situação minimamente semelhante a esta.

Nestes dias em que trabalho com estas pessoas, que olhampara ti com olhos bem abertos, sem saber se vão morrer, que se agarram a umsorriso para não pensarem que tudo pode piorar, que estão cientes de que umbeijo, uma carícia, um abraço, esbarram com barreiras como luvas, máscaras, batas,etc., a linguagem do olhar tornou-se essencial. Olhos que, acima da máscara,expressam todo essa amálgama de sentimentos que a boca não consegue articular,como a angústia e a incerteza, e também, e por que não, a confiança de que, afinal,tudo passará.

Ver Jesus no outro é uma capacidade que somente a fé emCristo pode manifestar, e isso, querido Irmão, é algo que está muito presente emmim atualmente. Reconhecer, por detrás do olhar desse doente que me fixa, osolhos do Senhor que sofre faz-me superar a fadiga, a preocupação e a angústia.

Quão bom samaritano se é (quantos há), sem o sabermos. Quantosdiscípulos de João de Deus, sem os conhecermos! Como é atual o carisma, como é preciosoo seu legado!

Obrigado, Irmão, à Ordem, por estar à cabeceira de quemsofre e por permitir que pessoas como eu possam ver Jesus naquela cama.

Como sempre, à sua disposição.

Um abraço forte.

 

Angel Alberto Garcia

Auxiliar de enfermagem da Fundação InstitutoSão José

Irmãos de S. João de Deus

Madrid, 22 de março de 2020

 

 

Copyright © 2021 Fatebenefratelli